A nova economia e o mundo da Comunicação

Já não é novidade que a nova economia está transformando o mundo em que vivemos. A economia colaborativa, digital, já é realidade em todo o mundo.

Vemos esta nova realidade nos transportes, onde o Uber está revolucionando a indústria e afetando os táxis, um modelo de negócio solidificado há décadas,  de maneira antes inimaginável.

Assim também acontece com a hotelaria, onde o AirBnB tem causado impacto de bilhões de dólares na indústria hoteleira mundial.

Os espaços de Coworking se proliferaram pelo mundo e hoje milhares de Startups, pequenas e até grande empresas não precisam mais da pesada estrutura de um escritório tradicional.

Netflix na TV, Spotify na música e vivemos uma realidade em transformação.

E na Comunicação?

Num mundo com tantas transformações, o mercado da comunicação não poderia ficar de fora. Embora muitos ainda tentem manter os velhos padrões, o mundo mudou também na Comunicação.

Seja no Jornalismo, na Publicidade e demais áreas, os velhos modelos de comunicação estão com os dias contados.

O “poder da mídia de massa” já não é, há tempos, o mesmo. A democratização da comunicação através dos meios digitais enfraqueceu veículos tradicionais e o mundo da propaganda também entrou na onda.

Facebook e Google não pagam BV para agências e os dinossauros da propaganda brasileira se viram perdidos, a caminho da eminente extinção.

padrao-conteudo-post

Nesse cenário, emerge um novo mercado de comunicação, onde os profissionais possuem muito mais liberdade e flexibilidade de trabalho. O emprego das 09:00 às 18:00 deu lugar ao home-office.

A coluna no jornal da cidade deu lugar ao blog nacional. O ilustrador da revista também tem clientes nos Estados Unidos e na Índia. A zona de conforto da comissão de 20% sobre mídia deu lugar às campanhas de performance, orientadas pelo ROI.

As novas agências digitais

As agências digitais, com certeza, não poderiam deixar de contribuir para esse novo contexto, quebrando velhos paradigmas. Um dos exemplos são as novas agências de Conteúdo, como a Rock Content, que através de centenas ou milhares de colaboradores (freelancers) atendem clientes das mais diversas áreas.

As enormes estruturas  de agências tradicionais hoje dão espaço a novas possibilidades, como ter sua própria agência digital, sem os custos e riscos de uma operação tradicional. A Green Digital é o exemplo desse novo modelo, possibilitando a empreendedores terem seu próprio negócio, iniciando com baixo custo e através de uma marca reconhecida, ajudando a pequenas e médias empresas crescerem usando o marketing digital.

Vemos, portanto, que o mundo mudou e a comunicação também. É, certamente, um cenário de desafios, mas também de inúmeras oportunidades para aqueles que estiverem atentos e, acima de tudo, preparados. E você, está preparado?

Leave a Comment